5 dicas para produzir um bom copywriting

O copywriting consiste em uma estratégia de produção de conteúdo para marketing e vendas, com o objetivo de convencer o leitor a realizar uma ação. Nesse sentido, a elaboração envolve o uso de estratégias de persuasão para conversão e vendas.

Embora o copywriting tenha crescido com a expansão da internet, a metodologia não é nova. A palavra copy foi definida por Noah Webster, em 1828, para algo que deveria ser imitado na escrita. Com o passar dos anos, a figura do copywriter estava associada ao profissional que produzia anúncios.

Contudo, nos dias de hoje, o copywriting não pode ser visto como um sinônimo de redação publicitária. Ainda mais quando se trata da internet, pois o usuário que pesquisa por uma loja de EPI em SP, por exemplo, não está só interessado no estabelecimento, mas em obter mais informações sobre a empresa.

Portanto, o copywriting é usado em estratégias de Inbound Marketing, sendo caracterizado por um forte CTA (Call to Action, ou chamada para ação), um texto extremamente persuasivo e informações valiosas. Enquanto isso, a redação publicitária se aproxima de um anúncio de vendas.

Devido às características, o copywriting está diretamente associado ao marketing de conteúdo, já que o principal objetivo da estratégia é atrair o público-alvo por meio da disponibilização de materiais relevantes, com informações valiosas.

Segundo dados da DemandMetric, o marketing de conteúdo é responsável por gerar até 3 vezes mais leads (potenciais clientes), além de custar 62% a menos do que as campanhas tradicionais de publicidade.

Por isso, escrever um bom copywriting é a chance de obter sucesso nos negócios, com maior conversão de leads, atração de visitantes para o site/blog e, consequentemente, grandes probabilidades de vendas.

A vantagem é que o copywriting pode ser usado para qualquer tipo de empreendimento. Por isso, o ramo B2B (Business to Business), empresas de adesivos personalizados, estão se beneficiando muito da estratégia.

No artigo de hoje, conheça 5 dias para produzir um bom copywriting e aproveitar ao máximo das vantagens do texto persuasivo. Acompanhe a leitura!

1 – Crie títulos atraentes e objetivos

Essa é uma das primeiras regras para a construção de um bom copywriting. Afinal de contas, o título é o chamariz do artigo, sendo o responsável por atrair e despertar a curiosidade do usuário.

Por conta disso, ele deve ser atraente, mas sem perder a objetividade, trazendo informações sobre o assunto principal do copywriting. Algumas dicas são:

  • Use números ou perguntas no título;
  • Não ultrapasse 65 caracteres;
  • Fale diretamente com o leitor;
  • Vá direto ao assunto.

Quando o copywriting utiliza técnicas de SEO (Search Engine Optimization), ou seja, de otimização para os mecanismos de busca, é importante trazer a palavra-chave principal também no título. 

A seguir, veja um exemplo com o termo automação industrial em SP:

“Encontre a melhor empresa de automação industrial em SP”.

O título principal não é o único que merece atenção. Os subtítulos também devem ser escritos de forma criativa, tratando do tema central daquela parte do texto e, se necessário, com o uso de palavras-chave.

2 – Otimize os textos para SEO

A otimização para os mecanismos de busca, SEO, é a chance do seu site ou blog ser encontrado nos buscadores, como o Google. Dessa forma, a sua página consegue melhorar a classificação entre os resultados de pesquisa, atraindo mais visitantes e leads.

Segundo o Search Engine Journal, 93% de todo o tráfego de um site tem origem em um mecanismo de busca. Por isso, otimizar o copywriting para SEO se tornou uma das estratégias mais empregadas no Inbound Marketing.

Uma das principais técnicas de otimização é o uso de palavras-chave, que são os termos mais pesquisados no Google. Geralmente, há uma palavra principal, responsável por orientar o conteúdo.

Por exemplo, o termo rótulos bopp metalizado pode ser usado para produção de um copywriting voltado às vantagens desses produtos, como eles são usados e para que servem. Ou seja, compartilha-se informações relevantes das mercadorias com os usuários.

Além do emprego de palavras-chave, vale ressaltar que a produção de conteúdo relevante é um dos pontos centrais do SEO. Isso porque o algoritmo do Google considera a experiência do usuário como fundamental para a classificação.

Quer dizer que de nada adianta ficar repetindo termos aleatoriamente – ao contrário, eles devem ser incluídos em um texto que faça sentido aos leitores.

3 – Construa um texto escaneável

A escaneabilidade é preponderante para que o leitor decida se irá acompanhar o seu texto ou desistir da leitura – ainda mais em um conteúdo para internet.

De modo geral, considera-se um copywriting escaneável quando a formatação é amigável aos olhos, tornando a compreensão dos assuntos fácil, já que as informações são separadas em parágrafos curtos e objetivos.

Com isso, os usuários podem realizar uma leitura dinâmica do texto e, mesmo assim, assimilar o conteúdo principal.

Por exemplo, imagine que uma consultoria empresarial SP vai tratar das melhores práticas para comunicação interna nas indústrias. Um texto longo, com parágrafos extensos, pode afastar os leitores, pois ele cansa os olhos.

É preciso considerar que, na internet, as pessoas estão em busca de algo rápido, já que a própria rotina se tornou mais ágil e dinâmica.

4 – Conheça o seu público-alvo

A produção de um copywriting depende do conhecimento acerca do público-alvo. Aliás, as estratégias de Inbound Marketing são altamente direcionadas, já que elas pressupõem a entrega de um conteúdo relevante para uma audiência específica.

Ao conhecer o público-alvo, é possível produzir um texto sobre comércio de ferro e aço com uma linguagem adequada, atendendo aos interesses e demandas dos clientes. 

Dessa forma, ao invés de escrever um conteúdo generalizado, tem-se uma produção muito mais assertiva, o que colabora com a conversão.

Hoje em dia, ter dados sobre o público-alvo se tornou tão fundamental para as estratégias de marketing, que até mesmo a publicidade tradicional está se beneficiando disso.

É comum vermos comunicação visual placas, por exemplo, com uma linguagem específica, em um design atraente a uma determinada parcela da população, para que a mensagem seja entregue aos destinatários certos.

Para conhecer o público-alvo, a empresa pode apostar em uma pesquisa de mercado, ou até mesmo um levantamento com pessoas que já são clientes. 

Entre as principais informações colhidas, encontram-se: faixa etária, nível socioeconômico, escolaridade, gênero e comportamentos de compra.

Claro que, quanto mais dados obtidos, melhor será o direcionamento do conteúdo. Inclusive, muitos planejamentos envolvem a construção de uma persona (personagem que representa o cliente ideal), para humanizar o conteúdo.

5 – Use números e pesquisas

As pessoas querem ser bem informadas. Um texto sobre consultoria fiscal empresarial deve trazer dados relevantes para os empreendimentos, para que eles possam aprender sobre o assunto e, além disso, ter confiança naquilo que estão lendo.

Por conta disso, o uso de números e pesquisas é capaz de comprovar a credibilidade de um conteúdo, sendo visto como um gatilho mental de autoridade na produção do copy.

Claro que esse não é o único método de persuasão possível, já que a produção de conteúdo pode envolver a aplicação de outros gatilhos mentais, como o da prova social (quando outras pessoas atestam a informação, bem como a qualidade do produto/serviço).

É importante que as pesquisas e números sejam oriundos de fontes confiáveis, para evitar qualquer desentendimento ou desinformação. Afinal de contas, a falta de confiança do público pode ser um aspecto bastante prejudicial para os negócios.

Dica bônus: atenção ao CTA!

O CTA, ou chamada para ação, é o ponto principal de um bom copywriting. Por isso, ele precisa ser claro, transparente e objetivo, mostrando ao leitor exatamente o que ele deve fazer. 

Além disso, não é recomendável usar frases longas, sob o risco do usuário ficar desinteressado e abandonar a ação.

Em muitos casos, o CTA engloba mais elementos, além do texto. Por exemplo, ele pode ser usado com uma imagem, um botão de chamamento e um hiperlink. Dessa forma, há ainda mais chances de conversão.

Ou seja, o copywriter e o designer devem trabalhar juntos, para garantir a atração dos visitantes e, assim, conquistar a conversão desejada.

Conclusão

O Inbound Marketing é uma metodologia centrada na oferta de conteúdo relevante. Por conta disso, o copywriting se tornou uma das estratégias mais importantes, ainda mais quando o objetivo é a conversão de leads.

Oferecendo materiais valiosos, direcionados a um público-alvo específico e com informações confiáveis, o texto é muito atrativo para os ávidos leitores da internet. 

Além da conversão, o copywriting educa a audiência a respeito de um produto ou serviço, aproxima-se dos usuários pela linguagem e, como consequência, melhora a reputação da empresa no mercado.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.